Web Content Display Web Content Display

Tendencias

Asset Publisher Asset Publisher

Asset Publisher Asset Publisher

Back

RH de multinacionais: como lidar com o treinamento em escala?

RH de multinacionais: como lidar com o treinamento em escala?

O RH de multinacionais precisa ter metas arrojadas para mobilidade de suas capacitações, assim como a qualidade de seus treinamentos deve estar à altura de sua competitividade global. Mas esses não são os únicos desafios enfrentados. É preciso somar a evolução constante do uso de tecnologias nos processos de trabalho, as diferenças culturais dos funcionários em suas filiais e a necessidade de escalar os treinamentos para atender a demanda constante de capacitação e atualização do conhecimento. A parte boa é que a mistura de culturas e modos de execução que os treinamentos e capacitações podem proporcionar permite que a organização identifique maneiras de realizar uma mesma tarefa mais eficientemente. É a troca de conhecimento mais relevante para a sustentabilidade de um negócio, mas precisa ser gerenciada com atenção. Isso porque a uniformidade dos processos e tomadas de decisão devem sempre prevalecer. Quer saber como lidar com tais desafios? Comece avaliando se a seleção de soluções que reunimos neste post são compatíveis para sua empresa.

Invista em plataformas digitais

Plataformas digitais resolvem grande parte dos desafios para a capacitação de funcionários em diferentes filiais. Afinal de contas, permitem que os colaboradores executem suas aulas e acessem o material instrucional da própria estação de trabalho. Elas também englobam todo o processo de desenvolvimento, execução e análise dos resultados dos treinamentos. Pois em sua estrutura permite que avaliações e testes possam ser requisitados ao final de cada etapa ou capítulo de conhecimento. O formato do conteúdo também é consideravelmente beneficiado pela utilização de plataformas digitais, que integram vídeos, jogos de perguntas e conteúdos da maneira que melhor privilegia o aprendizado contínuo.

Aposte na gamificação

Falando em jogos e a estruturação dos conteúdos dos treinamentos, outra solução para os treinamentos em escala para diferentes filiais é a utilização de métodos como a gamificação para engajar o andamento do aprendizado. Se em uma sala de aula o instrutor tem o controle da atenção e envolvimento de seus participantes, na plataforma digital, em que cada profissional pode conduzir seu treinamento individualmente, é preciso atrair a atenção e dar objetivos para que sejam concluídos. A gamificação consiste em criar regras, etapas de evolução e até um ranking pessoal que encoraje a boa aderência ao conteúdo e sua conclusão dentro dos prazos estabelecidos. Considerando a distância entre o RH e suas filiais, esse método pode ser essencial para ter o engajamento dos funcionários e ter controle de suas atualizações necessárias.

Combine ações do RH de multinacionais com consultorias de projetos educacionais

Quando o core business da empresa não é a área educacional, o investimento em consultorias de projetos educacionais é uma boa solução para ter treinamentos em escala eficientes. Uma consultoria especializada pode desenvolver um calendário de treinamento personalizado, o qual contemple as especificidades de cada cargo, regras e leis específicas de cada filial. Pode também determinar qual o formato ideal de capacitação para cada conteúdo. As plataformas digitais são excelentes ferramentas para treinar uniformemente os funcionários dentro de um prazo determinado. Mas em alguns casos, em que a interação humana é importante, o modelo de treinamento presencial pode ser sugerido. Isso não quer dizer, no entanto, que eles serão menos inovadores do que aqueles propostos nas plataformas digitais de treinamento. Muito pelo contrário, também podem utilizar tecnologias de interação, vídeos, didática moderna e contar com todo apoio estrutural que a consultoria pode esquematizar em qualquer ponto do globo.

Personalize o conteúdo

O conteúdo, além de transmitir novos conceitos e diretrizes para o trabalho, também deve mostrar a atenção da empresa para as diferenças sociais e culturais dos colaboradores. Dessa maneira, adaptar a linguagem, personalizar perfis na plataforma digital e até inserir exemplos do cotidiano de cada filial para conduzir os aprendizados é muito importante. Também é possível personalizar o conteúdo de acordo com o cargo dos funcionários e as habilidades que pretende desenvolver, como a liderança. Inserir dilemas de gestão, simulações de situações típicas de um gestor e claro, fazer estudos de casos presenciais entre membros na mesma posição hierárquica permite a troca de conhecimento e criação de maneiras para sua execução.

 

O conteúdo, além de transmitir novos conceitos e diretrizes para o trabalho, também deve mostrar a atenção da empresa para as diferenças sociais e culturais dos colaboradores.

Crie indicadores de desempenho compartilhados

gamificação cria o estímulo para a execução e até mesmo para que os funcionários busquem melhores performances, mas o uso de indicadores compartilhados com a equipe incentiva para que eles trabalhem o desenvolvimento profissional em conjunto. Assim, é possível criar metas de desempenho para conclusão do curso ou notas obtidas para cada filial e os funcionários de uma loja da rede podem incentivar uns aos outros, ou até mesmo tirar dúvidas, em prol do bom resultado com o indicador compartilhado. Além de estabelecer indicadores em comum para o time das filiais, divulgar tais resultados também é importante para a motivação das equipes — lembrando sempre de evitar comparações ou exposições que possam constranger os membros. O aspecto cultural, nesse ponto, demonstra diferentes reações do funcionários. Isso porque enquanto alguns são mais agressivos na competição por melhores desempenhos, outros não.

Promova o benchmarking entre as filiais

E nesse cenário em que alguns perfis culturais podem se complementar, a ideia de promover benchmarking entre as filiais é muito efetiva. Ao trocar temporariamente funcionários entre as lojas de uma rede, por exemplo, os membros podem vivenciar maneiras de execução diferentes e métodos de abordagem ao cliente que podem funcionar no mercado em que atuam. Além disso, os profissionais que trocam conhecimentos e oferecem suas perspectivas de execução, como mentores, sentem-se valorizados pela direção, enquanto servem de inspiração para os demais. Se a troca presencial não é possível, outras soluções de comunicação podem unir filiais de diferentes localidades para a troca de experiências. Elas são muito positivas, inclusive, após minicursos e pílulas de conhecimento, incentivando que os funcionários discutam o conteúdo e as formas de aplicá-los na rotina de trabalho. Ao ligar com o desenvolvimento e capacitação dos funcionários, o RH de multinacionais deve ter como foco a unificação de um só discurso e voz para seus colaboradores. Isso permite que suas diferenças culturais sejam respeitadas, mas que os clientes finais sejam atendidos e tenham a mesma qualidade dos serviços em qualquer um dos pontos globais que deseje acionar. Nesse ponto, nós, da Telefônica ED temos conhecimento prático, pois estamos presentes em 7 países junto com nossos clientes, respeitando as diferenças culturais e extraindo o melhor de cada localidade. Nossa filial brasileira hoje tem uma operação maior do que a da matriz na Espanha. O equilíbrio personalizado entre capacitações digitais e presenciais é um dos ingredientes para o sucesso. Quer outras dicas para encontrá-lo? Siga nosso perfil no LinkedIn e veja mais temas como este. 


Web Content Display Web Content Display