Web Content Display Web Content Display

Tendencias

Asset Publisher Asset Publisher

Back

Rapid learning nos treinamentos: conheça os benefícios para empresas e colaboradores

Rapid learning nos treinamentos: conheça os benefícios para empresas e colaboradores

Um dos principais desafios da área de Treinamento e Desenvolvimento (T&D) de uma empresa é manter seu projeto de educação corporativa atualizado e moderno, garantindo alto nível de eficiência e retorno sobre esse investimento. Para isso, é importante seguir e adotar tendências do mercado educacional, como o rapid learning

Este formato de aprendizagem acompanha as transformações do perfil dos colaboradores no mercado de trabalho, que estão cada vez mais conectados e com rotinas aceleradas. Neste sentido, sua adoção é uma maneira de otimizar os programas de treinamento e eventos de capacitação, resultando em benefícios tanto para os profissionais, quanto para o negócio.

Além disso, a adoção do rapid learning é uma forma eficiente de promover a criação de uma cultura de aprendizagem contínua na empresa — outra tendência importante no mercado de educação corporativa. Para isso, é necessário que o time de T&D conheça a prática e saiba como fazer sua implementação de maneira correta.

Por esses motivos, colocamos abaixo as principais informações sobre o rapid learning, mostrando como essa prática gera benefícios para a empresa e seus colaboradores, bem como qual o melhor processo para adotá-la. Acompanhe!

O que é rapid learning?

Rapid learning é um termo em inglês que pode ser traduzido como aprendizado rápido. Neste sentido, ele pode ser entendido com um formato de aprendizagem no qual um ensinamento é absorvido em pouco tempo — normalmente, em até menos de uma hora.

Para isso, é necessário que o conteúdo de um material rapid learning seja didático e focado nos principais aprendizados que se deseja passar, ou seja, assuntos secundários são deixados de lado e apenas o que é realmente importante é mantido. O objetivo não é ter uma visão completa sobre algo e sim desenvolver um conhecimento específico.

Um curso no formato rapid learning tende a ser apresentado no modelo de pílulas de conteúdo, que são materiais que podem ser consumidos entre três a cinco minutos — como vídeos, infográficos, cartilhas e apresentações. Cada um deles com ensinamentos objetivos e claros, focados no aprendizado de um assunto ou prática singular — como treinamento corporativo técnico ou comportamental.

Além disso, o formato é, normalmente, usado em ferramentas de e-learning e LMS — ​Learning Management System, ou Sistema de Gestão de Aprendizado, em português. Neste sentido, tende a ser interativo e caracterizado como um aprendizado "just-in-time", que projeta conhecimentos necessários para cada perfil de usuário da plataforma.

Como ele pode ser usado no projeto de educação corporativa?

Existem quatro formas mais comuns de usar o rapid learning dentro de um projeto de educação corporativa digital. Falamos melhor sobre cada um deles, à seguir.

1. Reforço de aprendizados 

A primeira forma de usar conteúdos em rapid learning é com o objetivo de reforçar o conhecimento desenvolvido por algum treinamento. Ou seja, após um processo de aprendizagem, o participante consulta tópicos específicos do que foi aprendido.

Isso é importante para que o conteúdo principal não seja esquecido pelo profissional e possa ser absorvido em sua memória de longo prazo. Por durarem entre três e cinco minutos, esse tipo de material pode ser inserido com mais facilidade na rotina dos colaboradores, evitando que eles tenham que parar por muito tempo para rever o aprendizado.

2. Nivelamento de conhecimento

Outra forma de usar o rapid learning é na etapa anterior a um treinamento ou evento de capacitação, como ferramenta de nivelamento de conhecimento. Neste sentido, antes de iniciar um curso, os profissionais passam por um teste que avalia se eles possuem os conhecimentos mínimos necessários para ter bom aproveitamento do conteúdo e, em casos de negativa, as pílulas são usadas.

Essa prática é muito comum para a aplicação de treinamentos técnicos, que exigem conhecimentos específicos para aprender atividades e processos mais avançados. As pílulas são usadas para relembrar esses assuntos, garantindo que os profissionais não fiquem perdidos ou com dificuldade durante o processo de aprendizagem.

3. Treinamentos completos

rapid learning também pode ser usado para construir treinamentos completos para os profissionais, quebrando seus módulos em pequenos conteúdos que permitem que eles estudem conforme seu tempo.

Para isso, é ideal que eles sejam oferecidos dentro de uma plataforma de e-learning que o colaborador pode acessar em dispositivos móveis — no formato mobile learning.

4. Compartilhamento de conteúdo

Muitas empresas que desejam criar uma cultura de aprendizado contínuo usam o rapid learning para incentivar o engajamento dos profissionais no consumo de conteúdos diversos durante a rotina de trabalho. 

Para isso, as pílulas podem ser compartilhadas em comunicados oficiais do negócio — e-mails ou redes sociais corporativas, por exemplo —, como chamadas para materiais mais ricos ou como pequenos momentos de aprendizado. 

Por que a prática é uma tendência?

Num cenário de produção exponencial de dados, acesso à informação, internet e entretenimento, as pessoas apresentam rotinas que recebem cada vez mais estímulos que consomem sua capacidade de absorver e manter informações. 

Por esse motivo, muitas empresas estão se atentando ao diagrama da curva do esquecimento, criado por Hermann Ebbighaus, que afirma que esquecemos até 80% de tudo que aprendemos dentro do período de 30 dias, sendo assim, um treinamento feito hoje, é praticamente eliminado da nossa memória em um mês.

Por ser algo que promove a assimilação de conteúdo e aumenta as chances do aprendizado ser armazenado na memória de longo prazo, contribuindo assim, para o combate da curva de esquecimento, o rapid learning tem se tornado um dos investimentos mais notáveis em projetos de educação corporativa.

Além disso, o formato de ensino é associado e viabiliza outras tendências do mercado educacional, que contribuem para a otimização dos projetos e aumento do retorno do investimento no ensino corporativo. Entre eles, estão:

criação de uma cultura de aprendizagem contínua;

• uso do e-learning e plataformas LMS;

• adoção do mobile learning;

• uso de novos formatos de ensino — como vídeos e infográficos;

• incentivo ao aprendizado personalizado, seguindo as necessidades dos colaboradores.

Outro fator que contribui para o aumento do interesse pelo rapid learning e mostra como sua adoção é uma oportunidade para as empresas é que esses materiais são produzidos em menor tempo, quando comparados com conteúdos tradicionais. Neste sentido, eles resultam em economia para o projeto.

Por fim, o rapid learning é o formato de ensino que melhor se adapta aos profissionais da geração Y — também chamados de millennials, são pessoas que nasceram no início dos anos 1980 até o início dos anos 2000. Por este motivo, o formato pode ser visto como uma tendência que não será passageira.

O rapid learning é focado apenas na geração Y?

Como falamos, treinamentos baseados em rapid learning se adaptam aos profissionais da geração Y, resultando em mais interesse e aproveitamento do projeto de educação corporativa por esses colaboradores. Entretanto, os resultados positivos do formato não são limitados apenas a esse público.

Na realidade, os problemas resolvidos pelo rapid learning são presenciados por todas as gerações de profissionais do mercado. São eles:

• rotinas lotadas e muito corridas;

• pouco tempo para se dedicar ao aprendizado;

• diminuição da capacidade de atenção e retenção de conteúdo;

• necessidade de flexibilidade na aprendizagem.

Neste sentido, o rapid learning proporciona benefícios para todos os profissionais da empresa, não apenas para a geração Y. Sendo assim, seu uso pode ser feito em todo o projeto de educação corporativa. 

Quais os benefícios para as empresas?

Conforme apresentado anteriormente, o rapid learning promove benefícios tanto para as empresas, como para seus colaboradores. Abordamos abaixo os que correspondem ao negócio.

1. Acessível e ágil

Como treinamentos feitos no formato rapid learning são mais curtos, o gasto para sua produção tende a ser menor, permitindo que ele seja usado por empresas com orçamento mais limitado para o desenvolvimento de seus profissionais. Além disso, o retorno é mais rápido, uma vez que os colaboradores também consomem e usam o aprendizado mais rapidamente.

2. Ciclo de desenvolvimento mais curto

O tempo gasto para planejar e produzir um conteúdo no modo rapid learning é menor que o tradicional. Por esse motivo, a equipe responsável pode produzir mais materiais de desenvolvimento em sua rotina de trabalho. Sendo assim, a empresa ganha em produtividade.

3. Facilidade na manutenção do material

Uma prática comum feita pelo T&D é a atualização e manutenção dos materiais usados no projeto de educação corporativa — acrescentando, alterando ou retirando informações ultrapassadas que não representam mais a realidade ou não são relevantes.

Para materiais tradicionais e longos, a prática demanda mais tempo e esforço do time, enquanto conteúdos rapid learning podem ser atualizados rapidamente. Neste sentido, o formato é indicado para cursos e treinamentos que necessitam atualizações constantes, facilitando este trabalho.

4. Aplicação mais ampla

rapid learning pode ser usado de diferentes formas e em variadas plataformas de ensino, para atingir os muitos objetivos de treinamento e desenvolvimento dos profissionais da empresa. Neste sentido, sua aplicação é bem ampla, o que gera muitas oportunidades para o negócio.

5. Impacto elevado

Quando criadas de forma eficiente, as pílulas de conteúdo tendem a gerar um alto nível de aprendizagem e retenção de conteúdo, o que resulta em melhores retornos para a organização.

6. Melhor custo benefício

Por apresentar menor valor de investimento e rápido retorno, o custo benefício do formato rapid learning tende a ser maior do que o de projetos de treinamentos longos e presenciais. Isso ocorre porque a segunda opção é mais robusta e exige o emprego de orçamentos mais valiosos, além de normalmente, apresentarem maior retorno no longo prazo.

7. Retorno sobre o investimento

Como apontado, a eficiência do rapid learning gera maior retorno sobre os investimentos feitos no projeto de educação corporativa da empresa. Neste sentido, a área de T&D contribui para uma organização mais lucrativa e eficiente.

8. Ganho de competitividade

Por fim, o investimento em materiais no formato rapid learning representa o acompanhamento de tendências do mercado educacional, fazendo com que a empresa mantenha sua competitividade no que se refere ao desenvolvimento e preparo de seus profissionais e criação de uma forte employer brand.

 

"Além do rapid learning promover benefícios para as empresas, a prática também resulta em ganhos para o processo de aprendizagem dos profissionais"

Quais os benefícios para os funcionários?​

Além do rapid learning promover benefícios para as empresas, a prática também resulta em ganhos para o processo de aprendizagem dos profissionais. Descrevemos melhor cada um deles abaixo.

1. Rapidez no aprendizado

Uma característica comum na rotina de todo profissional é o sentimento de que ele precisa se desenvolver e se manter atualizado em suas qualificações, porém, o tempo para isso é reduzido. O rapid learning permite que eles consigam estudar e aprender de forma que essa prática se adeque ao seu tempo livre, reduzindo possíveis frustrações.

2. Conteúdo centrado no aluno

Por abordarem assuntos específicos e distintos, as pílulas podem ser oferecidas de forma personalizada, somente para os alunos que realmente precisam daquele aprendizado e no momento correto. Nesse sentido, elas podem ser programadas para serem apresentadas quando um usuário do LMS atinge uma nota baixa no treinamento ou começa um, por exemplo.

3. Aprendizado “just-in-time”

Materiais rapid learning podem ficar disponíveis para que os usuários façam seu acesso e aprendam sobre um conteúdo específico exatamente no momento que precisam, fazendo um aprendizado "just-in-time".

4. Acessível e prático

Smartphones, tablets e outros dispositivos móveis fazem parte da vida de qualquer profissional. Neste sentido, a possibilidade de acessar e consumir pílulas de conteúdo nesses aparelhos torna o rapid learning um formato de ensino muito interessante e prático para os colaboradores.

5. Variedade dos formatos de conteúdo

Além de se adaptar aos diversos dispositivos usados pelos colaboradores, o rapid learning pode ser usado em diferentes tipos de treinamento, permitindo que os colaboradores não tenham que se prender apenas a um formato de aprendizado.

6. Menor consumo de tempo

Como falamos, a capacidade de manter a atenção das pessoas está diminuindo. Neste sentido, o rapid learning se adapta a esse cenário e torna o processo de aprendizado mais rápido e eficiente para os participantes de um treinamento.

7. Melhor absorção de conteúdo

Por ser um momento de aprendizado rápido e objetivo, os participantes deste formato de treinamento tendem a absorver e manter o conteúdo aprendido por mais tempo em sua memória.

Como aplicar rapid learning no seu negócio?

Para que o rapid learning seja usado de forma eficiente nas empresas e elas aproveitem todos os benefícios desse formato de ensino, é importante seguir alguns passos durante seu processo de adoção. Descrevemos cada um deles, à seguir.

1. Comece com um bom planejamento

O primeiro passo para implementar uma estratégia que contenha materiais com rapid learning é fazer um bom planejamento. Isso inclui:

• quais treinamentos e cursos serão feitos com rapid learning;

• qual tipo de uso será feito com esse material — reforço, nivelamento, etc.;

• como esse material será produzido;

• quais formatos serão produzidos em rapid learning;

• como será o processo de produção, validação e distribuição das pílulas e treinamentos neste formato;

• qual o orçamento disponível para investir;

• quais serão os indicadores usados para acompanhar esse processo.

Essa etapa é importante para se ter uma visão clara do processo de implementação de um estratégia que inclui o rapid learning e o torna mais eficiente.

2. Reaproveite materiais de qualidade

Se a empresa e seu T&D já possuem um projeto de educação corporativo com materiais prontos, é indicado que eles sejam avaliados e, possivelmente reaproveitados — em casos de item atuais e com qualidade. Essa prática reduz os custos de produzir todos os conteúdos do começo e acelera o processo de implementação, permitindo que a adaptação ocorra de forma acelerada.

Para fazer o reaproveitamento basta avaliar o conteúdo e separá-lo em pequenos componentes, fazendo adaptações para que seu consumo seja visto com algo completo, mesmo que quebrado. Uma forma de fazer isso é incluindo uma introdução e finalização em cada pílula.

3. Defina seus objetivos

Depois de avaliar a biblioteca de materiais já disponível para a empresa e definir quais treinamentos e conteúdos precisam ser produzidos no formato rapid learning e quais necessitam de adaptações, é importante estabelecer os objetivos da empresa para esse investimento.

Neste sentido, é necessário ter uma visão clara do que se espera com esse novo projeto de educação corporativa. Para isso, é indicado estabelecer metas e objetivos de aprendizado para todos os cursos e ações realizadas, bem como indicadores de resultado para avaliar a performance no longo prazo.

4. Tenha um time de qualidade

Seja para desenvolver um projeto de educação corporativa do nada ou adaptar um com novos formatos de ensino, como o rapid learning, é fundamental que a empresa conte com uma equipe de qualidade para planejar, executar e acompanhar os investimentos feitos. Isso inclui:

• profissionais da área de Recursos Humanos (RH);

• autores, roteiristas, designers e produtores de conteúdo;

• desenvolvedores web e especialistas em TI.

Esses profissionais devem dominar os conhecimentos de suas funções, entregando projetos bem executados e eficientes. Para isso, é necessário que eles sejam orientados e saibam o que se espera como resultado de suas atividades.

5. Estabeleça um cronograma de implementação

Além de planejar, é preciso colocar os planos em prática. Para que esse processo seja feito de forma mais eficiente é indicado que um cronograma de implementação seja estabelecido, contendo itens, como:

• datas de todas as entregas;

• responsáveis por cada atividade;

• marcos para conferência de progresso do plano;

Essa prática ajuda na gestão e execução da implementação, reduzindo possíveis problemas que comprometem esse processo — como atrasos ou falta de comunicação.

6. Invista em uma boa ferramenta LMS

Como falamos, o uso rapid learning normalmente é associado à adoção de plataformas LMS e soluções de e-learning, que permitem que os colaboradores acessem o conteúdo de treinamentos de forma remota e digital — com uso de computadores e dispositivos móveis.

Neste sentido, é importante que a escolha dessa plataforma seja feita de forma correta, evitando soluções sem qualidade, baixa usabilidade e funcionalidades limitadas. Um LMS ruim não permite que os profissionais tenham uma boa experiência de aprendizado e acaba gerando mais frustrações do que ganhos.

Por esse motivo, a plataforma LMS selecionada deve ser de qualidade, apresentar boa usabilidade, flexibilidade para a organização do layout e exposição dos materiais, funcionalidades diversas e um suporte eficiente. 

7. Se atente na produção do conteúdo 

Por fim, outra atividade fundamental para que o novo projeto de educação corporativa seja eficiente é ter uma produção de conteúdo de qualidade, ou seja, feito por profissionais especializados. Além disso, eles devem seguir o padrão estabelecido na definição de rapid learning — curtos e objetivos, para consumo entre três e cinco minutos.

Para a produção de materiais é indicado que o foco seja no aprendizado gerado, não em design e outros fatores. Conteúdos rapid learning devem promover alta absorção e ficar na memória do usuário.

Por fim, as pílulas de conhecimento devem manter um padrão de identidade visual e formato, facilitando que os usuários passem de uma para a outra de maneira mais rápida e fluida.

Por que usar uma empresa especializada em educação corporativa digital?

Todo o processo de desenvolvimento e implementação de um projeto de educação corporativa pode ser feito de forma interna, externa, ou com uma mistura dos dois. No primeiro caso, os próprios profissionais do T&D realizam todos os passos listados no item anterior. No segundo, uma empresa especializada oferece time e consultoria para isso e, no último cenário, elas fazem isso de mãos dadas.

O ideal é que a organização siga pela terceira opção, aproveitando os diversos benefícios que uma empresa especializada promove. Entre eles, o know-how de como implementar o rapid learning no projeto de educação corporativa, como otimizar o processo e quais as melhores soluções de plataforma LMS disponíveis — em alguns casos, o parceiro oferece o sistema e sua personalização dentro do contrato estabelecido.

Neste sentido, encontrar um parceiro se torna um investimento interessante para as empresas que desejam adotar o rapid learning e modernizar o desenvolvimento de seus profissionais. Para isso, é importante estudar o mercado e identificar um fornecedor de qualidade, que tenha referências e garantias dos serviços oferecidos.

Depois de todas essas informações, fica evidente que o rapid learning é uma tendência importante do mercado educacional, que promove para as empresas e seus profissionais muitos benefícios. Além disso, seu processo de implementação não é simples, é preciso planejamento e um time eficiente para chegar ao sucesso — que pode ser auxiliado por parceiros.

Agora que você conhece a importância do rapid learning e como ele traz benefícios para a empresa e seus colaboradores, acredita que é o momento de investir? Então, entre em contato com a Telefônica Digital, especializada no assunto, e comece seu projeto!



No comments yet. Be the first.

Asset Publisher Asset Publisher

Web Content Display Web Content Display