Web Content Display Web Content Display

Tendencias

Asset Publisher Asset Publisher

Back

Dez dicas de design para ambiente virtual que você deve usar nos treinamentos

Dez dicas de design para ambiente virtual que você deve usar nos treinamentos

O uso de plataformas de LMS — Learning Management System, ou Sistema de Gestão Aprendizagem, em português —, é uma das principais tendências do ensino corporativo. A eficiência dessa prática depende de diversos fatores, entre eles, como o Treinamento e Desenvolvimento (T&D) adota os princípios de design para ambiente virtual em seu desenvolvimento.

Uma plataforma bem construída facilita o aprendizado dos usuários e desperta interesse em executar treinamentos. Com isso, o aproveitamento dos conteúdos é maior, bem como o retorno sobre o investimento feito pelo time de T&D. Para isso, é necessário conhecer as boas práticas de design e saber como usá-las para atingir os objetivos do negócio.

Neste sentido, colocamos neste artigo os dez principais conceitos de design para ambiente virtual, mostrando como sua adesão deve ser feita para melhorar o desempenho de um treinamento corporativo. Acompanhe!

1. Hierarquia visual

O primeiro princípio do design que deve ser usado para o desenvolvimento de plataformas LMS é a hierarquia visual, que pode ser entendida como um guia para o usuário, mostrando:

•  quais itens são mais importantes e devem receber atenção primeiro;

•  qual a ordem do conteúdo apresentado;

•  quais itens estão dentro de um bloco de conteúdo;

•  qual é o começo, meio e fim de um conteúdo.

Para isso, é necessário avaliar o valor de elementos da produção, como cor, tamanho de fonte e imagens, tipografia, alinhamento e posicionamento. Eles devem ser organizados para apresentar ao usuário uma hierarquia clara, que torna o aprendizado algo intuitivo. Isso permite que eles saibam quais informações são mais relevantes e quais são secundárias. 

2. Simplicidade

O jargão "menos é mais" faz muito sentido na construção de um ambiente virtual de qualidade. Isso porque o ideal é buscar a simplicidade no design, evitando que os usuários fiquem perdidos com uma quantidade muito grande de informações e estímulos — que geram frustrações e desistências no processo de aprendizagem. Para isso, é indicado:

•  identificar a ordem de importância de cada elemento do design;

•  cortar o que não é relevante e pode atrapalhar o usuário;

•  criar uma hierarquia de conteúdo com blocos pequenos de aprendizado;

• usar mais elementos em listas e menos blocos de textos;

•  não usar muitas cores e fontes diferentes;

•  manter um padrão na identidade visual.

A simplicidade evita a desordem e tem como objetivo eliminar possíveis distrações que são irrelevantes para o significado daquilo que se quer alcançar com o conteúdo.​ 

3. Pontos focais

Outro elemento importante no design para ambiente virtual de ensino é a presença de pontos focais, ou seja, elementos que chamam a atenção e interesse do usuário, ajudando na ordem que eles consomem o conteúdo.

Sem um ponto focal, a atenção do usuário pode ir para qualquer elemento do ambiente e não para o local que ele deve começar seu processo de aprendizado. Por esse motivo, eles devem ser muito atrativos e se destacar dos demais elementos do design. Para que eles sejam criados com eficiência, é preciso:

•  enfatizar conceitos e pontos realmente relevantes para o aprendizado;

•  variar no elemento que será o ponto focal, podendo ser uma imagem, títulos em cores diferentes do padrão, vídeos, infográfico, etc;

•  não colocar mais de um ponto focal por página ou assunto tratado;

•  que o ponto focal incentive o interesse pelos temas secundários do conteúdo.

4. Espaços em branco

O uso de pausas, ou espaços em branco, serve como momentos de descanso e respiro para os usuários durante seus treinamentos. Essa prática ajuda na construção da hierarquia, dos pontos focais e também na atenção e concentração no processo de aprendizagem.

A inclusão desses momentos é importante para que os usuários não sintam pressão para consumir muito conteúdo de uma única vez — como acontece quando eles se deparam com textos longos e sem pausas. Além disso, depois de aprender algo, é importante ter um momento para assimilar esse conteúdo e se preparar para o próximo.

 

"Outro item que deve ser considerado no design para ambientes virtuais é a legibilidade, ou seja, a facilidade de se fazer a leitura do conteúdo apresentado"

5. Legibilidade

Outro item que deve ser considerado no design para ambientes virtuais é a legibilidade, ou seja, a facilidade de se fazer a leitura do conteúdo apresentado — considerando tamanho, tipo e cor das fontes usadas. Para isso, é importante seguir algumas dicas, como:

•  não usar fontes muito pequenas;

•  optar por fontes sem serifa — pequenos traços e prolongamentos colocados nas extremidades das letras —, pois elas performam melhor na web;

•  ponderar o uso de fontes muito extravagantes, pois tendem a ser mais difíceis para ler. É melhor usá-las em textos pequenos, como títulos;

•  contrastar esquemas de cores para facilitar a leitura;

•  considerar a performance do tamanho e tipo de fonte em diferentes dispositivos.

6. Consistência

A assimilação do conteúdo de um treinamento digital é facilitada quando a plataforma apresenta um padrão claro em sua identidade visual. Neste sentido, é importante que todos os elementos tenham um estilo gráfico consistente. Isso inclui itens, como:

•  fontes;

•  cores;

•  tamanhos;

•  localização de objetivos;

•  uso de imagens, vídeos e infográficos;

•  estilo de linguagem;

•  edição de conteúdo.

Com isso, o curso criado faz mais sentido na visão do usuário e seu aprendizado é melhorado, o que resulta numa taxa de aproveitamento do conteúdo maior para a empresa.

7. Alinhamento 

A forma como o conteúdo de um treinamento é apresentado no ambiente digital é outro elemento do design que deve ser considerado para aumentar a eficiência e retorno deste investimento. Isso porque o alinhamento e ordem dos materiais reduz a desordem e minimiza distrações ou confusão no processo de aprendizado.

Para criar um fluxo visual intuitivo e fácil de compreender, é importante considerar regras, como:

•  itens dentro de um mesmo plano vertical ou horizontal tendem a ser assimilados como partes de um único conteúdo, apresentando propriedades semelhantes;

•  itens não alinhados são vistos como assuntos separados ou subconteúdos dentro de um tema maior;

•  imagens, vídeos e infográficos devem ser claramente associadas ao texto de referência.

8. Familiaridade

Um erro comum no desenvolvimento e manutenção de ambientes digitais é alterar o design da plataforma de forma constante. Apesar de parecer algo bom para manter o sistema atualizado, isso pode impactar na familiaridade que os usuários possuem com o ambiente e reduzir a eficiência de seu processo de aprendizado.

Esse resultado é gerado pelo fato de que, ao mudar o design, os usuários precisam aprender novamente como o treinamento funciona, onde estão os botões, qual a hierarquia de conteúdo e como interagir com o ambiente. Isso pode gerar frustrações e reduzir o interesse em usar a plataforma.

Neste sentido, é importante que mudanças sejam informadas e, quando elas impactam muito na familiaridade que os usuários possuem com o ambiente, eles recebam um treinamento para se adaptar de forma mais rápida e eficiente — um onboarding pode ser usado nesse caso.

9. Acessibilidade

Outro princípio que melhora o desempenho de treinamentos digitais é a acessibilidade da plataforma, ou seja, o quão fácil e intuitivo é navegar por ela. Para isso, é necessário que o design seja elaborado de forma simples e organizada, apresentando:

•  informações facilmente acessíveis;

•  botões claro e visíveis;

•  opções para pular, voltar e avançar no conteúdo;

•  opção de fechar pop-ups e alertas;

•  responsividade para se adaptar a diferentes dispositivos.

Além disso, empresas que apresentam políticas de inclusão devem pesar na acessibilidade para pessoas com deficiência (PCD). Estes colaboradores exigem cuidados e funcionalidades específicas para que possam fazer uso de ambientes virtuais de ensino, como descrição de imagens e sistema de leitura em voz alta acompanhando o cursor do mouse.

10. Cor

Como falamos, as cores são importantes para a eficiência de muitos elementos do design para ambientes virtuais. Por esse motivo, é importante que o processo de decisão sobre a paleta usada na plataforma deve ser feito de forma correta. Para isso, considere:

•  evite cores muito claras e vibrantes;

•  tenha cores para estabelecer hierarquia visual, chamar atenção e destacar elementos importantes;

•   não tenha uma paleta muito variada para não gerar desordem;

•  cuidado com o conflito de cores.

Com isso, encerramos os dez principais elementos do design que devem ser levados em conta no desenvolvimento visual de um e-learning. Vale lembrar que todo o conteúdo, funcionalidades e arquitetura do sistema devem considerar o perfil dos usuários para que a eficiência otimizada.

Gostou de saber mais sobre as práticas de design para ambiente virtual que melhoram o desempenho do seu treinamento corporativo? Então não deixe de nos acompanhar na página do LinkedIn e receber outros conteúdos como esse em sua timeline.

  • design para ambiente virtual


No comments yet. Be the first.

Asset Publisher Asset Publisher

Web Content Display Web Content Display