Publicador de conteúdo web Publicador de conteúdo web

Tendências

Publicador de conteúdo Publicador de conteúdo

Voltar

Transformação digital no treinamento corporativo: um guia prático

Transformação digital no treinamento corporativo: um guia prático

Talvez a transformação digital no treinamento corporativo seja o exemplo mais claro do que essa evolução deve realmente representar para uma organização. Não se trata somente da atualização de hardwares e softwares no parque tecnológico da empresa, mas sim da escolha de soluções inovadoras que sejam centradas na experiência do colaborador, produzindo otimizações e bons resultados para o negócio. O que você precisa entender desde já é que existe uma grande diferença entre apenas modernizar ferramentas e escolher aquelas que realmente contribuam para a experiência, o produto e o serviço final. No caso dos treinamentos corporativos, tais efeitos se refletem na escalabilidade da transmissão do conteúdo, na didática, na absorção do conhecimento e, claro, na eficiência de sua aplicação na rotina organizacional. Tudo isso fica ainda mais evidente quando consideramos que, entre os profissionais ativos no mercado de trabalho nos dias de hoje, poucos podem ser considerados nativos da era digital. Até mesmo a geração dos famosos Millennials teve uma infância de transição, com diversos dispositivos analógicos, não conectados à internet, em sua rotina. Já a faixa geracional seguinte, apelidada de geração Z, vai aos poucos ingressando no mercado e demandando métodos alinhados com seu perfil tecnológico. Se não for centrada nos usuários e clientes, a educação digital no ambiente empresarial dificilmente proporcionará ao negócio, por exemplo, a flexibilidade necessária para se adaptar às constantes mudanças do mercado. E você certamente não quer ficar para trás, não é mesmo? Considerando esse cenário, resolvemos elaborar este guia prático com todas as informações de que você precisa para entender como é possível se integrar à transformação digital e conquistar excelentes resultados para o negócio a partir dela. Acompanhe!

Afinal de contas, o que é a transformação digital?

Basicamente, a transformação digital corresponde ao uso massivo e estratégico de tecnologias para o desenvolvimento de processos, produtos ou serviços de uma empresa. Seus desdobramentos são infinitos, principalmente quando o volume de dados gerados nas interações internas e comerciais são considerados na equação. Para processar e usar esses dados no tempo certo, é preciso contar com um bom potencial de processamento, de análise sistêmica e velocidade de resposta para converter as informações em uma linguagem personalizada e humanizada. Em outras palavras, podemos dizer que a transformação digital é o esforço contínuo de usar o poder da tecnologia nas rotinas das empresas para agregar valor aos negócios e às relações, minimizando ou até mesmo eliminando o antagonismo com os recursos humanos que interagem com ela. Especialmente quando falamos na área de desenvolvimento profissional, é fato: as tecnologias podem produzir grandes efeitos para os negócios. Para isso, porém, seu planejamento precisa considerar os impactos em seu público-alvo — no caso, os colaboradores das empresas.

Qual o impacto da disrupção nos treinamentos corporativos?

O termo disrupção, usado para explicar uma revolução no mundo corporativo, é, por incrível que pareça, controverso. A maioria dos executivos e pesquisadores o utilizam para se referir a uma inovação que cria um novo mercado e desestabiliza os players do modelo tradicional, na maioria das vezes os eliminando-os por se tornarem obsoletos. Sua concepção normalmente é simples, econômica e mais eficiente. Originalmente, sua inserção no mercado é feita em pequenos volumes, com baixa margem de lucro, para rapidamente tomar grandes proporções ao substituir métodos ou produtos já existentes por sua fórmula otimizada. É o que o AirBnB representa para algumas redes hoteleiras, por exemplo. Seguindo a mesma lógica, é o que o conceito de Ensino a Distância (EaD) representa para a área da educação universitária e de treinamentos corporativos. No entanto, por mais controverso que seja o termo, a disrupção sempre aponta não para a eliminação do antigo modelo, mas sim para uma evolução praticamente compulsória de seus termos. Apesar das indiscutíveis otimizações do EaD, por exemplo, os treinamentos e cursos presenciais não foram substituídos, mas sim otimizados para acompanhar tal evolução. Assim, a transformação digital no treinamento corporativo se volta mais uma vez para a centralização de sua estratégia na experiência do profissional em seu desenvolvimento e processo de aprendizagem, personalizando conteúdos de acordo com suas necessidades, independentemente se for para receber o conhecimento física ou virtualmente. Essa, aliás, é a filosofia da Telefônica ED em seus projetos educacionais. A partir de um diagnóstico sobre as necessidades do cliente, uma solução é completamente personalizada, indicando o canal de entrega (presencial ou a distância), o formato pedagógico e demais aspectos relevantes para o sucesso do calendário de treinamento da organização. Dessa forma, é possível apontar se os conteúdos e as especificidades de uma empresa se adaptam melhor a treinamentos presenciais modernizados ou ao ensino a distância, e indicar o tipo de estímulo que pode favorecer o aprendizado, seja introduzindo a gamificação, organizando seminários web ou oferecendo pílulas de aprendizados, por exemplo. Obviamente, a personalização do treinamento corporativo faz com que a aderência ao conteúdo seja muito mais significativa, consequentemente otimizando sua aplicação nas rotinas da organização. Por si só, esse já seria um grande motivo para promover tal revolução sob medida na empresa, não concorda? A boa notícia é que, na verdade, existem outras razões para se investir na transformação digital.

Por que iniciar a transformação pela educação dos colaboradores?

Nesse ponto, além de citar os impactos da transformação digital nas empresas, é importante ressaltar por que o ideal é dar início ao processo a partir dos treinamentos corporativos e da sensibilização tecnológica da equipe. Como propagadores da cultura da inovação e destreza digital, os recursos humanos são também a variável da equação para o sucesso do negócio. Pense bem: são justamente os recursos humanos os responsáveis por gerenciar as novas ferramentas, além de tornar as relações com os clientes mais humanas e pessoais, tudo isso mesmo executando suas ações por meio de softwares e mecanismos de comunicação. São eles também os transmissores da cultura e dos valores que a transformação digital pode proporcionar. Fique de olho para entender melhor o porquê dessa abordagem!

Resposta ágil às necessidades do negócio

Se o mercado está sempre evoluindo e empresas de maior porte tendem a expandir seus negócios territorialmente, a busca por maneiras inovadoras de treinar funcionários permite que os gestores possam dar prosseguimento a estratégias de crescimento sem gargalos por falta de equipes devidamente capacitadas. Isso garante competitividade para o negócio, que pode explorar novos mercados com agilidade estratégica para se antecipar aos concorrentes e, ao mesmo tempo, ter unicidade em seus serviços e oferecer qualidade no relacionamento com o cliente.

Flexibilidade na estrutura do conteúdo

Seja em treinamentos locais ou por meios digitais, as ferramentas de apoio para transmissão da informação são mais inovadoras e flexíveis. É possível usar vídeos com edições atrativas, livros animados, infográficos, pílulas de aprendizagem, áudios, avaliações online e até jogos para envolver os colaboradores nos treinamentos. Além disso, em vez de desenvolver treinamentos longos, com alta carga de conteúdo, as iniciativas podem ser divididas em módulos otimizados, inclusive com avaliações que confirmem a correta absorção das informações, liberando assim o acesso à próxima etapa. De acordo com as necessidades da empresa, módulos presenciais e virtuais podem ser misturados com o intuito de obter melhores resultados em termos de aprendizado. A possibilidade de fazer o devido acompanhamento e de metrificar os resultados é outra contribuição que a tecnologia pode trazer para os treinamentos corporativos. Além de monitorar a evolução de cada profissional, a inteligência artificial pode ser utilizada para cruzar tais informações com os demais dados do negócio. A partir daí, é possível personalizar ainda mais os treinamentos, processos internos e o relacionamento com o cliente. Nesse contexto, relatórios e dados complexos funcionam como base para identificar e viabilizar melhorias no processo e na produção com uma agilidade humanamente impossível de ser atingida.

Custo-benefício e escalabilidade

Treinamentos no ambiente digital podem ser individualmente gerenciados por cada funcionário, possibilitando seu cumprimento até em intervalos da própria rotina de trabalho. Isso evita, por exemplo, custos com deslocamento e hospedagem, bem como das horas de trabalho perdidas em todo o processo. Além do mais, essa possibilidade permite que cada funcionário conduza o treinamento a seu tempo, respeitando suas necessidades de aprendizagem e sem depender da sintonia entre todos os envolvidos. Assim, a personalização é mantida, ainda possibilitando que diversos profissionais, cada um em sua filial e estação de trabalho, treinem a qualquer momento, não interferindo na rotina da empresa nem aumentando os gastos.

Alinhamento com as necessidades dos novos profissionais

Um dos grandes motivos para iniciar a transformação digital pela capacitação dos funcionários, no entanto, diz respeito à adaptação das informações a um formato de conteúdo mais valorizado e facilmente compreendido pelos novos profissionais do mercado. Cada vez mais conectada, essa nova geração precisa de incentivos e métodos de aprendizagem que usem tais elementos para atrair sua atenção para o conteúdo. Tudo isso está relacionado tanto ao meio de treinamento, como é o caso da EaD, como também aos métodos empregados, como é o caso do Edutainment, que usa o entretenimento e o aprendizado para envolver os participantes. A ideia é buscar uma maior interatividade dos participantes, seja virtual ou presencialmente. A partir dos conhecimentos dos integrantes do curso, a lógica é inserida de forma divertida para propor raciocínios que favoreçam a compreensão das informações.

Quais são as tecnologias estão moldando as novas ideias de capacitação?

De forma geral, algumas tecnologias podem ser consideradas indispensáveis para a transformação digital das organizações, como a inteligência artificial, o Big Data, a Internet das Coisas e a realidade virtual. Em diversas etapas do negócio, esses recursos serão cada vez mais usados. Por isso, é essencial compreender como interagir com eles. E como as tecnologias estão em constante evolução, é preciso fazer um esforço de capacitação a fim de manter a competitividade intelectual dos colaboradores e alavancar seu potencial de gerenciamento.

Big Data + inteligência artificial

O Big Data envolve todos os dados produzidos na empresa e pode ser aproveitado para personalizar treinamentos e criar simulações de cenários em que os funcionários podem testar seus conhecimentos. Um call center, por exemplo, pode usar o Big Data por meio do Business Intelligence para identificar os tipos de chamadas mais recorrentes no negócio, assim como aquelas que geram mais dúvidas em seus atendentes. Para fins didáticos, algumas simulações podem ser desenvolvidas a partir desses modelos, de modo que novos atendentes treinem com base em cenários reais, mas em um ambiente de teste para não interferir no atendimento real. Avaliações e testes online realizados após os treinamentos também são convertidos em dados para o Big Data, possibilitando que sejam utilizados para a análise do desempenho das equipes. Isso significa dizer que reciclagens de conhecimento e feedbacks poderão ser sugeridos de forma eficiente e personalizada, de acordo com as dificuldades de cada colaborador ou setor, garantindo uniformidade nos serviços e mitigação de falhas.

Internet das Coisas

A internet incorporada nos dispositivos de uso comum também faz parte da transformação digital, principalmente por estabelecer conexões entre eles e propor soluções rápidas para as demandas dos usuários. Isso traz mais possibilidades para a área de capacitação, indo além inclusive dos smartphones que já permitem acessar aplicativos operacionais e ambientes de treinamento, proporcionando uma ótima experiência de aprendizado.

Realidade virtual + realidade aumentada

Já conhecidos em diversas áreas da capacitação, os ambientes de testes também são integrantes dessa revolução e serão cada vez mais potencializados. Sua aplicação é lógica, assim como seu efeito: o exercício prático de processos e comandos que evita falhas no ambiente real. Essas também são excelentes ferramentas para testar novos processos e comandos, permitindo que os resultados sejam comparados aos modelos originais de forma a, depois da devida análise, adotar a melhor performance.

Plataformas tecnológicas

As plataformas tecnológicas oferecem cursos segundo o Learning Management System (LMS), com ferramentas 2.0, permitindo que cada profissional com acesso individualizado tenha à disposição uma carteira de capacitações que podem ser realizadas de acordo com sua gestão de tempo e suas necessidades. Esses recursos podem ser personalizados de acordo com a identidade da empresa e configurados a partir do perfil e da área dos funcionários. Assim, é possível estabelecer metas de horas de treinamento, notas mínimas e temas obrigatórios de serem estudados e validados por meio de testes. A equipe financeira, por exemplo, pode ter uma composição de cursos sobre recebíveis, notas fiscais e tributos do mercado de atuação, enquanto o time comercial tem módulos sobre negociação, modelos de contratos e condutas comerciais. As plataformas tecnológicas ainda apresentam outras vantagens, como o fato de serem responsivas, funcionando bem em qualquer tipo de dispositivo, além de permitirem a criação de grupos de discussão sobre os temas abordados e produzirem relatórios gerenciais tanto da equipe como de cada profissional. Isso garante a análise dos dados gerais pelos gestores, enquanto permite aos profissionais acompanharem seu desempenho individual, identificando pontos de melhoria.

 

O resultado surge em forma de cursos que trarão muito mais benefícios para o negócio.

Personalização da educação profissional

Se a experiência para quem efetivamente usa uma tecnologia é fundamental, é evidente que a possibilidade de desenvolver projetos de capacitação profissional sob medida também é uma revolução digital. Isso porque, nesse processo, as necessidades são levantadas e os usuários analisados a fim de propor a solução mais personalizada possível para a empresa. Assim, se um dos requisitos da revolução digital é oferecer ferramentas e métodos otimizados, os projetos de educação profissional ad hoc (ou seja, com conteúdo, didática e finalidades específicas e personalizadas) são ideais e unem diversos profissionais em seu desenvolvimento — como pedagogos, desenvolvedores e administradores para atender todas as necessidades de aprendizagem de um grupo. O resultado surge em forma de cursos que trarão muito mais benefícios para o negócio.

Como começar seu projeto de educação digital?

Tudo bem que revoluções acontecem de forma inesperada na sociedade, mas, no caso do ambiente interno das empresas, elas não só podem como devem ser planejadas, envolvendo áreas estratégicas — como a diretoria, o financeiro, o setor de TI e o departamento de Recursos Humanos. Esse projeto deve contemplar algumas etapas, como você vai ver a seguir!

Mapeamento de necessidades e construção do modelo

Essa é a etapa mais crucial de todo o projeto de educação corporativa, responsável por identificar as demandas atuais, incluindo as particularidades de cada setor e dos profissionais para, a partir de um diagnóstico detalhado, ser desenvolvido um modelo de aprendizagem adequado. Esse modelo contemplará as modalidades de cursos que precisam ser desenvolvidas, as ferramentas e tecnologias que mais têm a ver com o perfil do negócio e com seu orçamento, assim como a base do conteúdo programático e da metodologia ideal. Treinamentos antigos também são analisados nessa fase. Seu conteúdo pode ser adaptado a uma plataforma tecnológica ou ser otimizado com ferramentas que tornem sua aplicação mais eficiente e envolvente. Como mencionamos no início do post, a transformação digital não precisa eliminar o antigo modelo, mas torná-lo mais moderno e aplicável às novas necessidades. Conhecer o negócio, o perfil dos funcionários e a demanda de desenvolvimento é muito importante. Mas é preciso realizar essa etapa com conhecimento sobre processos educacionais e as melhores tecnologias para tal, combinado? Em outras palavras: uma consultoria especializada pode trazer grandes ganhos para o levantamento dessas informações.

Escolha das tecnologias de acordo com o orçamento

Depois de levantar os requisitos para o projeto educacional, a empresa deve partir em busca de soluções que estejam dentro do seu orçamento. Em relação a esse ponto, precisamos fazer uma ressalva: adquirir tecnologias e administrá-las pode onerar bastante a empresa, além de tirá-la do seu core business. Já a terceirização do serviço permite que o negócio tenha acesso ao melhor conjunto tecnológico e know-how para a gestão de seus treinamentos digitais, com um investimento que gera retorno de qualidade comprovada.

Efetiva implantação do planejamento

O processo de implantação terá variações significativas, de acordo com o perfil da empresa, as tecnologias e os métodos escolhidos. Também será diferente se conduzido internamente ou com o apoio de uma consultoria especializada. De forma geral, porém, engloba etapas de criação e revisão dos conteúdos dos treinamentos, além da escolha de métodos para engajamento dos profissionais — como gamificação, realidade aumentada e outros. Do ponto de vista técnico, a plataforma de ensino deve ser instalada, receber os conteúdos, gerar e fazer a distribuição de usuários e senhas, ser customizada de acordo com a identidade da empresa e fazer testes em todas as funcionalidades, desde o acompanhamento do usuário logado até a emissão de certificados.

Operacionalização no dia a dia do negócio

É preciso sensibilizar os funcionários, dar orientações sobre o uso da plataforma, revisar regularmente os conteúdos e, claro, acompanhar a utilização da ferramenta. Saiba, porém, que é possível terceirizar inclusive a parte logística e de treinamento da empresa, garantindo que ela possa focar realmente no que oferece ao mercado.

Acompanhamento e implantação de melhorias

Acompanhar resultados, revisar e lançar conteúdos: esse ciclo é fundamental para manter a equipe atualizada. Pensando nisso, uma plataforma digital deve oferecer relatórios gerenciais que permitam analisar o desempenho em avaliações e progressos no que se refere aos treinamentos. Tais relatórios devem ser comparados a outras informações sobre o desempenho de setores e funcionários. Se uma instituição financeira identifica um aumento no cancelamento de cartões de crédito em determinada agência, por exemplo, pode encontrar a raiz do problema na baixa adesão ao curso sobre o tema oferecido em sua plataforma. Assim, pode orientar a equipe a fazer uma reciclagem de conhecimento para evitar danos ao negócio. Aliás, essa combinação de relatórios é uma das grandes vantagens trazidas pela digitalização de treinamentos. Afinal, além de dar soluções rápidas para a capacitação dos profissionais, ela também proporciona uma visão estratégica do negócio que pode trazer resultados práticos significativos. A transformação digital no treinamento corporativo não diz respeito apenas à escolha de tecnologias ou à virtualização de todo o calendário de aprendizado, mas sim a uma maneira de inovar na transmissão do conhecimento. Em uma era em que muitos profissionais se questionam se serão substituídos por máquinas em um futuro próximo, proporcionar ganhos de experiência e aprendizado a partir da tecnologia faz com que compreendam que tal relação será, na verdade, muito produtiva tanto para o negócio como para eles mesmos. Para a empresa, o uso da tecnologia em prol da otimização da área de capacitação permite transformar um setor que antes era visto como despesa em um apoio estratégico para a melhoria da qualidade dos serviços e, consequentemente, dos resultados do negócio, graças ao aumento da eficiência e à redução de falhas. Além disso, sob o ponto de vista motivacional, ter uma cultura que valorize o aprendizado contínuo é um grande diferencial da empresa, incentivo para os colaboradores realmente vestirem a camisa, retendo talentos, além de atrativo a mais para chamar profissionais de qualidade para o negócio. É muito importante acompanhar as inovações na área da educação corporativa para enxergar esses efeitos no negócio. Afinal, é a visão estratégica que permite que o gestor realize uma transformação digital de fato e não somente a aquisição de soluções tecnológicas, sem planejamento e objetivos definidos. Quer uma dica para ficar por dentro dessas novidades e saber quais delas podem ser relevantes para seu negócio? Siga nosso perfil no LinkedIn para ter acesso a informações valiosas para tornar seus treinamentos mais modernos e estratégicos!

  • Transformação digital no treinamento corporativo

Publicador de conteúdo web Publicador de conteúdo web