Publicador de conteúdo web Publicador de conteúdo web

Tendências

Publicador de conteúdo Publicador de conteúdo

Voltar

KPIs de RH: conheça e meça os principais

KPIs de RH: conheça e meça os principais

Uma das principais tendências trazidas pela transformação digital é a mudança no posicionamento da área de Recursos Humanos dentro das organizações, deixando de ser um departamento operacional para se tornar um setor estratégico. A fim de se adequar a esse novo modelo, otimizar as decisões do negócio e, assim, alcançar os melhores resultados, é fundamental usar KPIs de RH. Os Key Performance Indicators, em inglês, ou indicadores-chave de desempenho, em português, ajudam o setor de Recursos Humanos a levantar informações e dados importantes para avaliar as atividades da área, identificando se o que está sendo feito realmente atende às necessidades e aos objetivos da empresa. São diversas as medidas que podem ser usadas para avaliar cada frente do RH, indo do recrutamento à retenção. O ideal é adotar aqueles indicadores que mais fazem sentido para os objetivos da organização. Pensando nisso, listamos neste post os principais KPIs de RH para você otimizar essa área e ter melhores resultados na sua empresa. Confira!

KPIs de recrutamento e seleção

Vamos começar pela frente de recrutamento e seleção, responsável por divulgar as vagas, gerir o banco de talentos, atrair e selecionar os melhores profissionais para a empresa. Veja quais são os principais indicadores a acompanhar!

Tempo médio de preenchimento de vagas

Dado pelo cálculo do tempo total gasto para preencher as vagas dividido pelo total de vagas abertas dentro de determinado período, esse indicador ajuda a acompanhar a eficiência do time em atrair e selecionar os profissionais certos para as posições abertas. Pode ser avaliado por tipo de função, como gerentes, vendedores, analistas e assim por diante.

Efetivação de novos contratados

Essa métrica indica quantos dos profissionais contratados no regime de experiência (dentro de 90 dias) são efetivados na organização. Não tem mistério: quanto maior a taxa, melhor o processo de seleção do time de recrutamento.

Satisfação do processo de contratação

Esse indicador ajuda a entender se o processo de contratação está satisfatório para os profissionais do mercado. Sua medição deve ser feita por meio de uma pesquisa com todos os participantes de processos seletivos, tanto contratados como não selecionados.

Porcentagem de rendimento

A porcentagem de rendimento indica quantos dos candidatos permanecem em cada fase de um processo de contratação. Quando muitos são eliminados, é sinal de que a estratégia de atração não está clara, por isso não trouxe os profissionais adequados.

KPIs de retenção

Passamos agora para os indicadores de retenção, avaliando como está o ambiente organizacional e a capacidade da empresa em manter seus talentos.

Satisfação dos empregados

A satisfação do corpo de funcionários é uma métrica-chave para qualquer organização. Afinal de contas, profissionais insatisfeitos tendem a procurar novas oportunidades no mercado, além de apresentarem baixa produtividade, o que resulta em custos para a empresa. A melhor maneira de medir a satisfação é pelo Employee Net Promoter Score (eNPS), uma pesquisa que mede a probabilidade de o funcionário recomendar seu ambiente de trabalho para amigos, familiares e conhecidos. O método é simples e ajuda a identificar quantos dos funcionários são promotores da marca e quantos não estão felizes no trabalho.

Funcionários treinados na cultura da empresa

O alinhamento do time à cultura organizacional é tarefa da equipe de recrutamento e seleção. E isso deve ser feito antes da contratação de um novo colaborador. É importante, entretanto, continuar avaliando se os valores e princípios dos funcionários se mantêm de acordo com os da empresa. Para isso, basta um teste simples, que questione cada esfera do código de cultura.

 

O ideal é adotar aqueles indicadores que mais fazem sentido para os objetivos da organização.

Nível de produtividade

A produtividade é outra métrica importante para qualquer empresa. Funcionários produtivos geram melhores resultados e maximizam os investimentos feitos no RH. Para determinar essa variável, pode-se avaliar diversos elementos, tais como:

• tempo necessário para a realização de tarefas;

• alcance de metas de desempenho;

• evolução de resultados ao longo do tempo;

• número de erros cometidos;

• incidência de falhas;

• atendimento a prazos.

A empresa deve definir quais elementos determinam a produtividade de cada tipo de colaborador e manter esse indicador sempre atualizado.

KPIs de custos e receita

Outra frente do RH que pode ser avaliada por meio de KPIs cuida dos custos e das receitas da área. Confira abaixo alguns indicadores interessantes para acompanhar na sua empresa!

Custos de benefícios

Esse indicador apresenta o quanto a empresa gasta com os benefícios dos funcionários, fazendo uma média por colaborador. Para isso, basta somar todos os benefícios e dividir pelo número de pessoas contratadas. O valor pode ser comparado com dados do mercado para entender se o negócio está tão atrativo quanto outros do segmento.

Porcentagem do custo da mão de obra

A porcentagem do custo de mão de obra é determinado pela divisão dos gastos com pessoal pelos custos totais da organização. Essa taxa mostra se a empresa está gastando muito com pessoal ou não.

Custos de rotatividade

Esse valor é determinado pela soma de todos os custos com rescisões contratuais, multas, tributos, valor médio de contratação para reposição, treinamentos e qualificações de funcionários. A média por colaborador desligado mostra o quanto a empresa perde a cada movimentação do tipo. O ideal é tentar manter a rotatividade sempre baixa.

Retorno sobre o investimento

O retorno sobre o investimento é um dos indicadores mais usados no mercado. Aplicado a diversas frentes do negócio, no RH, ele ajuda a determinar se os investimentos feitos com contratação, treinamentos, ações de motivação e gastos com o time de funcionários estão mesmo trazendo retorno. Sua fórmula é a seguinte: (total gerado por um investimento - recursos colocados no investimento) / recursos colocados no investimento. Calculando e acompanhando esse índice, é possível determinar se uma ação realizada está realmente sendo positiva, agregando o valor desejado, ou se só representa um custo para a empresa.

KPIs de Treinamento de Desenvolvimento

Por fim, o time de RH também deve controlar indicadores de T&D, avaliando como sua estratégia está performando. Confira abaixo os principais!

Eficácia do treinamento

O nível de eficácia do treinamento pode ser medido por meio de uma pesquisa ou de um teste feito ao final de uma iniciativa do tipo. Também podem ser feitas comparações do nível de entrega de um profissional antes e depois da capacitação, especialmente quando se trata de um treinamento mais técnico.

Porcentagem de empregados treinados

Essa taxa indica quantos daqueles funcionários que precisam de determinado treinamento já o receberam. Para chegar a esse valor, é necessário fazer um Levantamento das Necessidades de Treinamento (LNT) na empresa, determinando todas as lacunas de desenvolvimento presentes no negócio. Além disso, é preciso manter um controle das capacitações realizadas, atualizando o LNT da empresa sempre que algo mudar. A diferença entre esses valores (o necessário e o realizado) mostra o quanto ainda é necessário fazer para manter o desenvolvimento do time. Depois de tudo isso, ficou mais que evidente como os indicadores podem ajudar no processo de decisão e na eficiência da gestão da área de RH, certo? Lembre-se de que os KPIs usados dependem dos objetivos da área e precisam ser adaptados a cada empresa para serem realmente eficientes. Gostou de conhecer os principais KPIs de RH e de aprender a medir cada um deles na sua empresa? Então não pare por aqui! Entre em contato com nosso time comercial. 


Publicador de conteúdo web Publicador de conteúdo web